sábado, 11 de julho de 2015

A importância dos sintomas. O inverno e a harmonização da energia(Qi) dos Rins. Parte 3.





Você sabe o que é ter um corpo em equilíbrio, em harmonia? Pela imagem acima, você consegue observar as diferenças principais que ocorrem nas articulações de um corpo assimétrico (em desarmonia)?
No post anterior, citei qual a importância entre o equilíbrio fisiológico do organismo (o que chamamos de equilíbrio Yin e Yang). Essa visão oriental, para muitos, é de difícil compreensão,  assim,  resolvi ilustrar de uma forma resumida e simplificada,  dentro da visão   ocidental, falando através do esqueleto humano.
Observe como é o esqueleto em equilíbrio (harmônico), representado pela figura  à sua direita (traços em verde). Você consegue notar que todas as estruturas (lado direito e esquerdo), parte superior e inferior se comunicam perfeitamente? Ao contrário, a figura  à sua esquerda (traços em vermelho) retrata um esqueleto em desequilíbrio. Veja como são as estruturas entre os dois lados, inclinações mais acentuadas de um lado que o outro, um joelho mais interiorizado que o outro,   há uma distorção,  consequentemente, um dos lados  está  sendo sobrecarregado, já que “trabalha”  mais que o outro, as consequências: bursites, tendinites, contraturas musculares, artroses,   abaulamentos vertebrais, hérnias de disco,  esses desequilíbrios geram    sintomas(dores, queimações, formigamentos, sensação de frio ou calor, diminuição ou aumento de sensibilidade, diminuição de força muscular, câimbras, etc).


Considerando agora o princípio yin e yang e os 5 elementos, duas teorias importantes da Medicina Tradicional Chinesa, observe: é como se a figura demonstrasse  equilíbrio  entre eles, um gerando o outro, um controlando o outro em perfeita sintonia. Se há harmonia entre eles, consequentemente há um sistema orgânico (“esqueleto”)  em equilíbrio.
Agora imagine que em um determinado momento de sua vida ocorre um desequilíbrio no elemento Água (esse elemento está relacionado a energia(Qi) dos  Rins e Bexiga, ao sentimento do Medo, a temperatura fria  e ao inverno,  ao sabor salgado).  Em função disso, você começa a apresentar alguns dos seguintes sintomas: sensibilidade e fraqueza nas articulações, dor e frieza  na região lombar e  dos joelhos, urinação frequente, gotejamento de urina após a micção,  dor queimante na uretra, fluxo fraco, intolerância ao frio, respiração ofegante, calafrios, palidez, edema de membros inferiores, vertigem, sensação de febre na palma das mãos e solas dos pés, entre outros.
No caso do esqueleto  caso não façamos uma correção  postural, a postura errada irá cronificar e, a longo prazo, teremos vários problemas estruturais, podendo iniciar com uma leva tendinite de ombro, passando para um bursite, evoluindo para um rompimento de tendão e, por compensação, desenvolver alterações a distância; bursite de quadril, desgaste de cartilagem de joelho, hérnia de disco lombar.  Fazendo uma comparação simples, no caso de desequilíbrio no elemento água, podemos iniciar com alterações leves na função do Rim e Bexiga e, gradativamente, evoluirmos para desequilíbrios nos elementos Madeira, Fogo, Terra e Metal, com outros sintomas relativos a esses outros elementos: enxaqueca, ansiedade, insônia, gastralgias, edemas de perna, e, em estados mais graves, instalações de doenças.




O medo é o sentimento que enfraquece a energia(Qi) do elemento Água, esse elemento está relacionado a força de vontade e a coragem, se o medo é persistente, e você não consegue superá-lo trará, como consequência, uma diminuição da força de vontade, apatia, ficará sem energia para enfrentar os desafios da vida e, com isso, poderá enfraquecer a  energia de Madeira,  que tem como ponto forte a capacidade de planejar e decidir.  
Simplificando, podemos dizer que desequilíbrios do elemento Água, tanto na função, como no próprio órgão ou  no sentimento correspondente, podem desencadear outros desequilíbrios no ciclo dos 5 elementos.

E como tratar/evitar e/ou prevenir esses desequilíbrios? Temos várias formas de fazer isso,  a primeira coisa e a mais importante é detectar qual a causa desses desequilíbrios para, então, optar pela técnica que favorecerá a harmonização; acupuntura, moxaterapia, dietoterapia, fitoterapia,  harmonização dos chacras, reiki, massoterapia, florais de Bach, etc.
Entender esse mecanismo se torna importante no processo de tratamento, tanto pelo terapeuta como pelo paciente, pois a colaboração desse último é fundamental, já que pequenas mudanças diárias promovem uma reabilitação mais eficiente.

Mudanças que podem ajudar a harmonização do Qi do Rim e Bexiga no inverno.

A visão da dietoterapia chinesa considera que cada órgão tem uma forma específica de se equilibrar, e o sabor do alimento é uma das formas de promover esse equilíbrio.
Conforme citamos, o sabor salgado corresponde a energia do elemento Água(Rim e Bexiga), e é o tonificante natural da energia desse. Não podemos confundir sabor salgado com o sal, propriamente dito. Sabemos  que a ingestão de sal exageradamente não é recomendado, pois prejudica a função renal, causa hipertensão, retenção de líquidos.
O sabor salgado   pode ser encontrado nas algas, caranguejo, mexilhões, marisco do mar, os peixes de carne branca, porco, missô, polvo.

Algumas  ervas e temperos podem dar um sabor todo especial ao alimento, e podem substituir o sal, entre eles; alho e cebola, alecrim, cominho, louro, pimenta da Jamaica, sálvia, manjericão, salsa, coentro, hortelã e menta, orégano, tomilho, açafrão, gengibre.

 Manter-se aquecido no inverno.
Não é só fora de casa que devemos nos aquecer, dentro de casa, mesmo que não pareça, sempre há uma janela entreaberta, uma fresta que permite que o vento entre, alguns cuidados simples como manter uma manta no sofá, cobrindo-se ao ler um livro ou para assistir TV, dormir com os pés bem aquecidos, fechar as janelas,  evitar sair paras estender as toalhas  ao vento ou frio logo após o banho quente, evitar pisar descalço em piso frio,  ingerir chás e sopas, tudo isso pode ser uma fonte de prevenção para evitar as chamadas doenças de inverno.
Ao sair, procure usar roupas leves,  por baixo das roupas mais pesadas, como uma segunda pele, essas roupas fazem contato direto com o corpo permitindo que a temperatura corporal não se altere tanto. Cachecol,  luvas, meias grossas, toca, são recomendações para dias mais frios.  Evite usar calçados abertos, sapatilhas leves, pois os pés ficam expostos a “friagem” externa e, como já vimos nos outros post, o trajeto do meridiano é muito importante na questão dos sintomas.


A questão da energia do elemento àgua e o sentimento do medo. Terapia com florais de Bach.

Os Florais de Bach são essências extraídas de flores específicas que tem como objetivo transformar estados mentais e emocionais negativos em positivos,   Dr Bach chamou de “lei dos Opostos”, ou seja, para cada emoção ou estado mental negativo como: tristeza, depressão, medo, pânico, etc, existem essências florais que trazem virtudes opostas e positivas, como: alegria de viver, coragem, tranquilidade, autoconfiança, proporcionando equilíbrio físico, mental e emocional.

Alguns desses florais trabalham a emoção negativa do medo; mimulus, rock rose, aspen,  o floral ajudará a revelar a coragem tranquila e a força escondida em cada um de nós, de modo a enfrentar as provações da vida diária.

Você pode encontrar maiores informações no blog do grupo ser natural: http://gruposernatural.blogspot.com.br/2011/10/o-medo-o-medo-e-um-misterio-para-toda.html

Espero ter contribuido para que seu inverno seja mais aquecido,  você é peça fundamental para que isso aconteça.

Descançar é preciso, interiorizar também, aproveite essa estação para refletir sobre isso. Are a sua “terra”, prepare o seu “solo”, plante boas “sementes”, que, certamente,  a colheita será próspera.

Até a próxima.

Por Mirian Ilda da Silva


Nenhum comentário:

Postar um comentário